Gestão de ativos e gestão de execução: grandes tendências de IoT nas indústrias brasileiras

A IoT (Internet das Coisas, do inglês Internet of Things) traz novas possibilidades de controle e monitoramento de diversos processos essenciais que envolvem a gestão produtiva, auxiliando as empresas a fazerem uma boa gestão das operações do chão de fábrica simultaneamente à gestão dos ativos.

Conheça, a seguir, duas grandes tendências de IoT nas indústrias brasileiras compatíveis com os passos da jornada de conversão para a indústria 4.0.

Tendência de IoT nas indústrias: Gestão de ativos

Uma das áreas de aplicação mais promissoras da Internet das Coisas (IoT) nas indústrias é, sem dúvidas, a gestão de ativos.

Indústrias que possuem sistemas de manutenção preditiva baseados em IoT analisam as condições de operação dos ativos em tempo real para prever quando e como o equipamento pode apresentar mau funcionamento.

Um exemplo de dispositivo IoT para a gestão de ativo são os sensores para frotas de motores e seus acionamento. Acoplado ao motor industrial, o acessório coleta dados como temperatura, vibração, tensão de alimentação e corrente, e fornece uma análise da saúde daquele motor.

Soluções como essa usam inteligência artificial e machine learning para diagnosticar, monitorar e indicar manutenções preditivas em motores elétricos. Os diagnósticos são feitos de maneira autônoma, permitindo ao usuário uma ação de manutenção rápida.

Uma vez que o gestor possui acesso aos dados coletados, torna-se viável a aplicação de inteligência artificial (IA) para fazer uma predição, detectando anomalias automaticamente.

Esta antecipação é vantajosa uma vez que:

  • Amplia o tempo de manobra para identificar mais rapidamente a causa-raiz do problema
  • Permite a definição de uma contramedida para corrigir o problema
  • Evita perdas indesejadas na fábrica

Outro benefício da gestão de ativos via IoT é o acompanhamento facilitado de indicadores de performance para medir a eficácia de máquinas, como:

Eficácia geral do equipamento (OEE)

Overall Equipment Efficiency (OEE) é a métrica mais comum para rastrear a eficiência de máquinas e linhas de produção. O OEE é produto de três indicadores (disponibilidade, performance e qualidade) que ajudam a identificar as principais perdas de produção. E orientam as ações de melhoria contínua. Ela identifica a porcentagem de tempo de fabricação altamente produtivo em todo o processo.

Ao medir o OEE, os fabricantes conquistam insights significativos sobre como ter o melhor desempenho produtivo.

Tempo médio entre falhas (MTBF) e tempo médio para reparo (MTTR)

O tempo médio entre falhas (MTBF) mede a confiabilidade de um equipamento – quanto maior o tempo entre as panes, melhor.

Já o tempo médio para reparo (MTTR) calcula a eficiência da equipe de manutenção, sempre que for necessário acioná-la – quanto mais rápido o serviço, menor o tempo de parada e maior a disponibilidade do equipamento.

A ampla lista de benefícios (veja abaixo) da manutenção preditiva via IoT é a força motriz que tem impulsionado a indústria brasileira na direção de fábricas mais inteligentes e competitivas, confira:

  • Melhora da precisão da manutenção preditiva
  • Custos de manutenção reduzidos
  • Programação de rotinas de inspeção
  • Redução do tempo de inatividade não-planejado
  • Maior confiabilidade dos ativos
  • Maior vida útil das máquinas
  • Maior segurança e conformidade do trabalhador

 

Tendência de IoT nas indústrias: Gestão da execução

A segunda grande tendência de IoT nas indústrias brasileiras é a gestão da execução, que acontece a partir da implementação de dispositivos IoT para medir a produção, consumo de materiais, e a inspeção de qualidade dos processos.

Estes dispositivos (como sensores e câmeras, por exemplo) são programados para executar funções como, medir, detectar ou contar algo com determinada regularidade.

Processados em plataformas específicas, os dados coletados dão a operadores, supervisores e gestores uma visão integrada dos processos da fábrica, adicionando mais transparência à produção.

As informações digitalizadas ficam disponíveis para acesso remoto de qualquer lugar, em tempo real.

Como exemplo específico de gestão da execução a partir da IoT, podemos citar a instalação de um sistema de visão industrial inteligente, que identifica automaticamente as características de determinadas peças, realizando sua contagem e medição e classificando os itens. Além de reconhecer o motivo de refugo caso a peça não passe na inspeção de qualidade.

Com a aplicação de IoT na manufatura, gera-se matéria-prima para a aplicação de IA, e passa-se a ter acesso a uma gestão apoiada por informações precisas em tempo real e por algoritmos que podem antecipar a ocorrência de problemas.

Isso permite que, mais rapidamente, o gestor possa colocar a sua fábrica no status ideal de produtividade e qualidade, produzindo com menos custos, com maior flexibilidade e mais competitividade.

Gostou de conhecer mais sobre as tendências de IoT nas indústrias brasileiras? Para ficar bem informado, acompanhe nosso blog, o Linkedin e assine a nossa newsletter para receber todas as novidades do mercado.

    Receba nossos novidades

    Uso de Cookies

    Este site usa cookies para melhorar a sua experiência online. As informações detalhadas sobre o uso de cookies deste site estão disponíveis em nosso Aviso de Privacidade. Ao continuar acessando o site você concorda com a nossa política de uso de cookies.

    Mais informações aqui Sim, eu concordo